08h57

Preocupadas com o Coronavírus, Sindimed, Cremeb e ABM se reúnem na Sesab

Compartilhe
Tamanho da Fonte

 

O Sindimed-BA, Cremeb e ABM estiveram em reunião, na tarde de 18 de março de 2020, na Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, para tratar de medidas acerca do Coronavírus. Participaram, a subsecretária  da Sesab Tereza Paim e os representantes das entidades médicas, a presidente do Cremeb-BA, Dra. Teresa Maltez; Dra. Ana Rita de Luna Presidente do Sindimed-BA e Dr. César Amorim e Dejean Amorim, representando a Associação Bahiana de Medicina.

Na oportunidade, a presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia, Dra. Ana Rita de Luna,  entregou um ofício, apresentando para a Sesab sugestões e pleitos dos médicos, onde consta a preocupação com a segurança das equipes de saúde, distribuição de EPIs nos postos de trabalho e   medidas de remanejamento para médicos com maior risco (acima de 60 anos e com comorbidades). Através do documento, o Sindimed também solicita que médicos, nessa faixa etária, com vínculos precários de pessoa jurídica possam ter as mesmas prerrogativas dos médicos estatutários quanto à segurança e possível quarentena sem perda de vencimentos.

A presidente do Conselho Regional de Medicina da Bahia, Dra. Teresa Maltez, sugeriu criar um canal de comunicação permanente da Secretaria da Saúde da Bahia com as três entidades médicas, que estão integradas no Cosemba – Conselho Superior das Entidades Médicas da Bahia. Dr. César Amorim, representando a Associação Bahiana de Medicina, reiterou a preocupação com médicos idosos com comorbidades, bem como a distribuição de EPIs e uma ampla ação de conscientização da população.
A subsecretária da Sesab, Tereza Paim, descreveu o plano de contingenciamento do Estado da Bahia, que passa por diversas ações. A primeira, consiste em alocar os pacientes com covid-2019, coronavírus positivo, para o Hospital Couto Maia e com isso haver um recrutamento de médicos com o perfil que sejam jovens e sem comorbidades para poder ocupar essa linha de frente. Além disso, os pacientes de tuberculose que hoje estão no Couto Maia vão voltar para o Hospital Otávio Mangabeira, de uma forma “tranquila e progressiva”.
Foi esclarecido também que a Sesab está tentando assegurar o fornecimento suficiente e adequado dos equipamentos de proteção individual para todas as unidades. Entretanto, esse uso dos EPIs, bem como de álcool gel, precisa ser racionalizado, porque a própria população não está suficientemente esclarecida acerca do seu uso e desperdiçando recursos, podendo chegar ao ponto do médico e de outros profissionais terem dificuldade de acesso ao material, como também pacientes suspeitos e sintomáticos.
A subsecretária admitiu haver dificuldade em conseguir a compra dessas máscaras até para a Secretaria de saúde do Estado da Bahia. Tereza Paim mencionou um aumento abusivo dos preços de compra desses insumos e a Secretaria, em função disso, estará tomando as providências cabíveis.
Quantos aos testes, inicialmente se coletava em casa para os casos suspeitos de pacientes idosos. Hoje em dia, já não se faz mais na residência e vários laboratórios privados já exauriram seus estoques de kits. Há um problema em relação aos kits. O Lacen, que é o Laboratório de referência, não estava conseguindo fazer a verificação da contraprova. Isso porque os kits utilizados pelos laboratórios privados são diferentes dos seus e com outra metodologia.
Por isso, informaram que os laboratórios privados que estão validados pela Secretaria de Saúde são apenas o Dasa e o Sabin. Portanto, a estratégia adotada será fazer os testes daqueles pacientes com forte suspeita e que estejam sintomáticos. Desta forma, serão esses encaminhados à unidade hospitalar para fazer o teste e a contra-prova. Os pacientes sem complicações devem permanecer em casa.
Existe uma projeção, segundo eles, mas não ainda confirmada, de que o pior surto vai ocorrer entre final de maio e início de junho. Por isso, mesmo aqueles médicos que estão sendo dispensados das atividades ambulatoriais e eletivas serão recrutados. Dentro desse cenário, não há condições de dispensar ninguém.
Cogitou-se Inclusive a utilização de estudantes de Medicina de 6º ano, sob supervisão, para ajudar nas tiragens e foi montada uma sala para monitorar o que ocorre no mundo e da Bahia acerca dos casos novos e dos casos suspeitos.
Isso implica que, a qualquer momento, outras medidas e portarias poderão ser baixadas pelo Governador. Cogita-se inclusive fazer uma restrição de ônibus intermunicipais. Por enquanto, essa restrição está sendo feita nas cidades onde já se detectou casos de coronavírus.
Outro ponto importante é que a Sesab não pretende internar a maior parte dos pacientes. Principalmente aqueles com infecção de vias aéreas, que não são Covid-2019 e até mesmo nos casos mais leves de coronavírus. A política será deixá-los em confinamento em casa, sob supervisão remota. Então vai se definir direcionar esses pacientes sintomáticos mais graves para a rede hospitalar.
Outro aspecto é que Secretaria de Saúde do Estado vai começar a “adquirir”, leitos, na rede privada. Além disso, o governo vai reativar o Hospital Espanhol, como já foi anunciado, e deve abrir um processo rápido de seleção para preencher as vagas para profissionais de Saúde.

 

Rua Baependi, Nº 162
Ondina, Salvador - Bahia
CEP: 40170-070
Tel.: 71 2107-9666
2019 - 2020. Associação Bahiana de Medicina. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital